We Wear Culture – A nova plataforma do Google

Postado por: Clara Braga

Quem melhor do que o maior servidor do mundo para reunir o que há de melhor na internet sobre moda?

O Google lançou recentemente a plataforma We Wear Culture, que complementa a já existente Arts&Culture, onde ele reúne exposições, obras digitalizadas em altíssima qualidade e passeios virtuais por museus.

Para as fashionistas de plantão é o paraíso! É possível até mesmo visitar o museu que guarda o famoso scarpin de Marlyn Monroe!

sa-752x448

 

E que tal explorar o Little Black Dress de Coco Chanel?

WeAreCulture4

 

A plataforma também questiona, muito bem por sinal o que vestimos. Com reportagens e links que exploram o inicio de cada tendência como o estilo punk, as chokers, os moletons.

WeAreCulture2

 

Acesse e divirta-se!

Advertisements

5 marcas brasileiras de bolsas e sapatos de couro vegano

Postado por: Sofia Andrade

Aqui no Think Outside the Fashion já falamos sobre marcas de slow fashion e marcas veganas algumas vezes. Já demos a dica de 5 marcas internacionais de maquiagens cruelty-free aqui, escrevemos outro post sobre 10 marcas brasileiras de cosméticos cruelty-free aqui e indicamos 5 marcas brasileiras de slow fashion baratas aqui. Ou seja, já abordamos maquiagem, cosméticos e roupas o que faltava eram os sapatos e as bolsas.

5 marcas brasileiras de bolsas e sapatos de couro vegano

1- Heleve

A Heleve é uma marca de sapatos de Belo Horizonte que não utiliza em sua fabricação nenhum item de origem animal. O carro chefe da Heleve são as sandálias estilo “birken” inspiradas na famosa “Birkenstock” e que voltaram contudo há uns anos. As compras podem ser feitas no site deles!

2- Yellow Factory

Outra marca belorizontina é a Yellow Factory, mas além de sapatos a YF vende também bolsas. A marca não produz apenas produtos veganos, mas tem uma linha 100% vegan com sapatos bem legais e bolsas super estilosas que podem ser compradas no site deles.

3- La Loba

A La Loba é uma marca exclusiva de bolsas veganas e foi uma das pioneiras no segmento aqui no Brasil. A loja segue a linha slow fashion e produz tudo artesanalmente e em pequenas quantidades. A loja online é essa aqui.

4- Maduu

A Maduu é uma marca vegana especialista em acessórios e todos os produtos são feitos artesanalmente com um pensamento sustentável. A Maduu também tem uma loja online e a marca tem uma variedade bem grande de bolsas, mochilas e carteiras.

 

5- Insecta Shoes

A Insecta Shoes é uma marca de sapatos e acessórios veganos com uma grande variedade de opções e um diferencial: estampas exclusivas e super estilosas. A Insecta tem uma identidade bem forte e vende seus produtos online!

Editorial

Postado por: Sofia Andrade

O Think Outside the Fashion tem abordado cada vez mais temas diversos e temos tentado compartilhar com vocês assuntos diferentes e que podem acrescentar conhecimento pra cada pessoa que nos lê.

Essa semana fizemos um post explicando o que é o “Fashion Revolution” e como esse movimento tem tido um espaço cada vez maior no contexto da moda não só no Brasil como no mundo. Além disso demos uma dica incrível: o site Moda Limpa,  que reúne endereços de fornecedores, produtores e marcas éticas, que primam pelo consumo consciente.

A cada pauta discutida e a cada post escrito descobrimos como o mundo do slow fashion e da moda consciente é abrangente e quantas opções existem hoje no mercado para esse público e para mudar um pouquinho do mundo em que vivemos.

Falamos também sobre o “Minimal Stylist” o estilo que tem muitas adeptas e adeptos pelo mundo e está ganhando um espaço cada vez maior no Brasil e falamos um pouco sobre o CFDA Awards, o “Oscar da Moda” que aconteceu em Nova York no início do mês e reuniu nomes como Anna Wintour e Diane Von Furstenberg.

Para a próxima semana temos outros posts muito legais para vir!

wintou43.jpg

Tecidos Veganos

Postado por: Luisa Rosa

Ao se pensar no conceito de slow fashion e moda vegana, ainda existem muitos aspectos que geram dúvidas, e um deles é a respeito de tecidos veganos. O que é um tecido vegano? Como reconhecer um? São algumas perguntas que queremos responder para facilitar o seu entendimento sobre moda vegana.

Tecidos veganos são tecidos produzidos sem a utilização de matéria-prima de origem animal. O conceito que envolve a moda vegana prega que nenhum ser vivo, tanto animal quanto homem, pode ser machucado ou explorado durante o processo produtivo.

Existem alguns tecidos que são de origem animal e devem ser evitados por quem deseja seguir os preceitos da moda vegana, como por exemplo: couro, lã, camurça, seda e peles. É possível verificar o tipo de tecido utilizado em uma roupa através da etiqueta, que contém as informações sobre o tipo de fibra que a compõe.

Também é importante verificar se o processo de fabricação da fibra foi consciente, sem o uso de agrotóxicos ou substâncias que prejudicam o solo e a água. Busque sempre por marcas confiáveis, que têm o veganismo como um de seus princípios, e procure também conhecer os tecidos mais adequados.

Abaixo vamos listar 5 tipos de tecidos veganos para o seu consumo sem preocupações.

Algodão Orgânico

O algodão orgânico é cultivado a partir de uma cultura orgânica, que preserva a saúde do solo, consome menos água e não polui, representa uma solução com menor impacto ambiental. O algodão convencional é cultivado com o uso de agrotóxicos, o que é nocivo ao meio ambiente, aos animais que habitam a região e ao agricultor.

1407_tecido_algodao_organico

Modal

Este tecido foi patenteado na Áustria, e é extraído da polpa de espécies da árvore Faia. É gerado a partir de um processo simbiótico e sustentável, e toda a sua produção é feita de forma a gerar baixo impacto ambiental negativo. O Modal é uma boa opção para malhas leves, frescas e coloridas, pois é uma fibra macia, brilhosa e que tem boa durabilidade e absorção.

tecidos-eco-friendly-santaconstancia-elaborados-com-a-fibra-lenzing-modalc2ae-01

Muskin

É um tipo de couro vegetal e 100% biodegradável que pode ser uma boa alternativa para a camurça. É extraído de cogumelos e cultivado de forma natural, livre de processos químicos. Além disso, apresenta vantagens em relação a peles como a camurça, por ser respirável e ajustável.

Piñatex

É um couro ecológico, no qual sua fabricação é feita a partir das fibras de folhas de abacaxi. A designer que o desenvolveu reparou na resistência do material e percebeu que poderia ser um substituto para o couro animal. Pode ser tingido e tratado de forma a se obter diferentes tipos de textura que se assemelhem ao tecido tradicionalmente usado em bolsas e calçados.

pinatex-tecido-abacaxi-designergh-07

Cânhamo

Cânhamo é a fibra obtida a partir da planta Cannabis. Quando a Cannabis é cultivada para a obtenção de fibras, as mudas ou sementes são semeadas bem próximas umas das outras, para que cresçam brigando por luz e desenvolvam o máximo de altura possível. Seu uso é permitido, desde que a cannabis utilizada tenha menos de 1% de THC (ou seja, sem efeitos psicoativas).

021715_000000_1

CFDA Fashion Awards

Postado por: Sofia Andrade

O CFDA Fashion Awards é considerado o “Oscar da Moda” e sua última edição aconteceu no último dia 5 de Junho em Nova York e reuniu grandes nomes como Anna Wintour (a editora-chefe da Vogue americana e realizadora do MET Gala) e Diane Von Furstenberg (estilista que tem uma relevância enorme na moda feminina). O evento tem como objetivo reconhecer e premiar contribuições norte-americanas no vestuário feminino e masculino quanto a criatividade, o estilo e realização pessoal e ainda o jornalismo orientado para a área.

Diane Von Furstenberg em discurso no CFDA 2017. Foto: Getty Images

A premiação ocorre em 10 categorias e as principais são: estilista de roupas masculinas do ano, estilista de roupas femininas do ano, designer de acessórios, talento emergente patrocinado pela marca de cristais Swarovski e ícone fashion.

Fotos: Divulgação

Mas por que o CFDA é relevante?

Apesar do CFDA ser um evento distante da nossa realidade e que é realizado dentro e apenas para os Estados Unidos (reservando apenas uma categoria para prêmio internacional), as marcas que participam são marcas internacionais e muito conhecidas pelo mundo (por exemplo, o grande vencedor do CFDA 2017 foi o estilista da Calvin Klein).

Para quem se interessa em moda é legal ficar de olho no que acontece por lá para saber qual a tendência do mercado norte-americano que ainda é o que seguimos aqui no Brasil.

Minimal Style

Postado por Maryane Cota

Como já foi dito anteriormente no post sobre Slow Fashion, o movimento não se caracteriza apenas pela produção e confecção consciente de roupas, mas tem a ver com todo um conceito de consumir consciente, abrangendo várias vertentes, como a reutilização de roupas, customização de peças que já temos, consumo consciente, etc.

armario minimalista

Dentro dessas vertentes, temos o Minimal Style, que defende que elegância é diferente de abundancia, ao contrário do normcore, este conceito não é sobre ir “contra” a moda, e sim sobre saber consumir, conscientemente. E o interessante é que o estilo abrange tanto peças e looks formais quanto informais, trazendo uma variedade imensa de combinações a se fazer, porem com peças mais atemporais, o que o faz ser um estilo considerado consciente.

As pessoas que utilizam do minimalismo, tentar fugir de tendências, por em sua maioria elas serem peças com uma vida útil muito curta, porém isso não é algo impossível. Quando surge a oportunidade de comprar uma peça que seja tendencia, os adeptos do Minimal Style levam em consideração a qualidade e durabilidade da peça. A intenção é ter poucas peças, mas peças duráveis, versáteis e atemporais.

Bibi-Bevza-Paris-Fashion-Week-Fall-Winter-2013-2014-street style-minimal look

As peças que formam o Minimal Style tem pouca ou quase nenhuma estampa (e quando tem são bem discretas), e há uma predominância de cores que consideramos neutras e básicas, como branco, preto, cinza, marrom, azul marinho, contendo também peças em jeans.

guide-to-minimal-style1

O Minimal Style, mesmo que em sua maioria, esteja ligado a cores neutras, existe a possibilidade de serem usadas cores diferentes e mais vivas em suas peças. Porém quando isso acontece, é muito utilizado o conceito do monocromático nos looks, continuando assim sendo peças chave, tradicionais e versáteis, porém com outras opções de cores.

 

Dica: Moda Limpa

Postado por Alyne Araujo

A moda sustentável ainda é muito nova no mercado e, com tantas ofertas de fast fashion, é difícil encontramos marcas com esse conceito mais consciente. Hoje, temos uma dica super especial pra vocês! Pensando em facilitar a nossa vida, a estilista Mariana de Luca, em parceria com Kaio Freitas e Julio Almeida criaram o site Moda Limpa,  que reúne endereços de fornecedores, produtores e marcas éticas, que primam pelo consumo consciente.

giphy

Agora é fácil de encontramos lojas com a nossa cara: com uma simples busca, você tem acesso a diversos empreendimentos e fornecedores veganos, produtos orgânicos, reciclados, biodegradáveis e muito mais. Eles se encontram divididos em tags, para facilitar a busca.

E tem mais: se você conhece uma loja super legal que ainda não está na lista, você consegue adicionar. Como o site é colaborativo, ele permite o cadastro de marca por meio dos leitores. Legal, né? Entre no site e confira a diferentes marcas disponíveis.